Presidiários confeccionam máscaras para força de segurança do Tocantins


https://jft.news/dU5p9

Presidiários confeccionam máscaras para força de segurança do Tocantins
Foto: Governo do Tocantins

Compartilhe


Mil máscaras artesanais confeccionadas por custodiados do Núcleo de Custódia e Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPP) foram distribuídas pela Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) aos órgãos pertences à força de segurança do Tocantins. As máscaras foram produzidas em uma parceria entre o Governo do Estado, por meio da Seciju, e a empresa Embrasil Serviços, cogestora da CPP de Palmas e Barra da Grota, com a participação da Passini & Pereira, empresa fornecedora dos uniformes dos internos para as duas unidades prisionais.

Essa primeira remessa de máscaras, com mil unidades, foi distribuída entre os órgãos da Força de Segurança do Estado, que são Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar, Secretaria de Segurança Pública, além da Secretaria de Cidadania e Justiça e unidades prisionais. Também foram doadas ao Palácio Araguaia e à Secretaria da Fazenda. Os próximos lotes serão distribuídos conforme a necessidade de cada unidade prisional e de cada órgão de segurança”, detalha o secretário de Estado da Cidadania e Justiça, Heber Fidelis.

O secretário da Seciju explica que as pessoas privadas de liberdade que trabalham na unidade fabril da CPP de Palmas, confeccionando as máscaras para o enfrentamento da transmissão do novo Coronavírus, participam do Programa Novo Tempo, promovido pela Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça e que visa atender as políticas de trabalho, renda, ressocialização e remição de pena.

Oportunidade e solidariedade


O encarcerado C.D.R.S, de 41 anos, conta que está tendo a oportunidade de aprender uma atividade profissional, além de ajudar no combate à propagação da Covid-19. “Estou me sentindo muito bem trabalhando na produção das máscaras, além de ajudar a sociedade, eu aprendo uma profissão, ocupo a cabeça, ajudo a minha família financeiramente e ainda diminuo meus dias de pena”, destaca.

Capacidade de produção


A unidade fabril, instalada na CPP de Palmas, tem capacidade para produzir 300 máscaras faciais artesanais, por dia, totalizando 1.500 por semana, visto que os encarcerados trabalham de segunda a sexta-feira. O material utilizado é o meltbow, um tecido filtrante, encapado por TNT médico-odonto-hospitalar, conforme orienta a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que dispõe sobre os requisitos para a fabricação. O secretário de Estado da Cidadania e Justiça, Heber Fidelis, explica ainda que quando não for mais necessária a produção das máscaras faciais, a fábrica será redirecionada para a produção de uniformes prisionais.

Funcionamento


A instrutora de corte e costura da fábrica, Angélica Passini, explica que, para o bom funcionamento da fábrica e a boa produtividade, dividiu as atribuições da confecção das máscaras artesanais entre os encarcerados, baseando-se no interesse e nas habilidades apresentadas. “Separei por função, com o intuito de que todos se sintam confortáveis com sua atividade e que assim tenhamos produtividade”, esclarece.


Fonte: Portal o Norte

Tags : Justiça, trabalho, detentos, Tocantins, máscaras, coronavírus, covid-19.

Ao clicar em "comentar", você declara que leu, entendeu e concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Subir para o topo