Levantamento de dados diz que 537 doses vencidas da AstraZeneca foram aplicadas no Tocantins; cidades negam


https://jflink.ml/InPfo

Levantamento de dados diz que 537 doses vencidas da AstraZeneca foram aplicadas no Tocantins; cidades negam
Doses da vacina AstraZeneca teriam sido aplicadas fora da validade — Foto: Divulgação/Mariana Ferreira

Compartilhe


Os pesquisadores Sabine Righetti, da Unicamp, e Estêvão Gamba, da Unifesp, apontaram em um levantamento publicado pela "Folha de S. Paulo" que ao menos 26 mil pessoas podem ter recebido doses vencidas da vacina AstraZeneca contra a Covid-19 em todo o Brasil. No Tocantins, os doses teriam sido aplicadas em 537 pessoas de 24 municípios. As prefeituras negam o problema e atribuem o achado do levantamento a uma falha dentro do Sistema Único de Saúde (SUS).

Os dados indicam que o problema ocorreu com doses de oito lotes da vacina.

O Ministério da Saúde disse que todas as doses são enviadas dentro do prazo e que, caso aplicações fora do período ocorram, é preciso passar por uma nova aplicação "respeitando um intervalo de 28 dias entre as doses".

De acordo com o levantamento, foram aplicadas 25.935 doses fora do prazo em pelo menos 1.532 cidades. Na lista, a cidade do Tocantins com mais doses supostamente vencidas é Aparecida do Rio Negro: 313. A Secretaria de Saúde de Aparecida do Rio Negro informou que recebeu apenas 30 doses dos lotes citados no levantamento e que todas foram aplicadas no começo de fevereiro em profissionais de saúde.

Em Filadélfia, a secretária municipal de saúde, Aryanna Medeiros, informou que o município não aplicou nenhuma vacina vencida, em nenhum dos lotes citados.

Em segundo lugar está Miracema do Tocantins, com 59 doses. A Prefeitura da cidade negou a situação e disse que os lotes citados pelos pesquisadores foram utilizados entre fevereiro e março, como primeira dose para os trabalhadores da saúde e que não têm risco de terem sido aplicados após o vencimento. Disse ainda que revisou os lotes em estoque e não há doses próximas do vencimento na cidade.

Na capital, o levantamento aponta aplicação de doses vencidas em quatro locais, somando 39 doses em toda a cidade. A Prefeitura de Palmas disse que a Central Municipal de Rede de Frio (Cemurf), da Secretaria Municipal da Saúde de Palmas (Semus), identificou 39 registros de doses com data de administração após o vencimento, pertencentes ao lote CTMAV501, com validade em 30 de abril de 2021. A Semus disse que está averiguando eventual erro de lançamento de dados e aguarda orientação do Ministério da Saúde (MS) sobre qual procedimento adotar, em caso de aplicação das doses fora do prazo de validade.

Em Araguaína, a prefeitura disse que as 10 doses supostamente aplicadas fora da validade tratam-se de erros de registro no sistema de informação SI-PNI. Segundo a gestão, todos foram identificados e corrigidos, mas a correção não migrou para a base nacional de dados. Disse ainda que todas as doses foram aplicadas antes do vencimento, entre fevereiro e março.

A Prefeitura de Gurupi também disse acreditar em um erro do sistema, uma vez que na data apontada como de aplicação das vacinas vencidas o município já tinha finalizado todos os lotes disponíveis da AstraZeneca.

Outras cidades por todo o país também negaram o problema e atribuíram os dados a erros de preenchimento nas tabelas do sistema do SUS. O Conselho de Secretaria Municipais de Saúde do Tocantins (Cosems - TO) disse que conseguiu localizar oito das 24 prefeituras citadas no levantamento e que todas elas negaram ter aplicado vacinas fora do prazo. Segundo a nota, os municípios se disponibilizaram a esclarecer individualmente as situações com os usuários. O Cosems não informou quais as cidades já localizadas.

O Ministério da Saúde diz que "caso alguma vacina seja administrada após o vencimento, essa dose não deverá ser considerada válida, sendo recomendado um novo ciclo vacinal, respeitando um intervalo de 28 dias entre as doses". Além disso, ainda segundo a pasta, "o vacinado deverá ser acompanhado pela Secretaria de Saúde local".

O lote da vacina é uma informação que deve constar no comprovante de aplicação.

De acordo com Sabine Righetti, uma das autoras do levantamento, as informações são do DataSUs e da Sala de Apoio à Gestão Estratégica (SAGE). A equipe analisou a data de vencimento dos lotes de vacina que ainda estavam sendo ministrados no Brasil. Primeiro, foram encontrados 8 lotes da AstraZeneca que já venceram. Depois, esse dados foram cruzados com as datas de aplicação informadas. Ainda, de acordo com a pesquisadora e jornalista, esses são os únicos lotes que já passaram da validade no país.


Fonte: G1/TO

Tags : Dados, doses vencidas, Tocantins, cidades

Ao clicar em "comentar", você declara que leu, entendeu e concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Subir para o topo