PAD: 5 servidores são exonerados da Prefeitura de Filadélfia por prejuízo de quase R$ 1 milhão


https://jflink.ml/UwAJt

PAD: 5 servidores são exonerados da Prefeitura de Filadélfia por prejuízo de quase R$ 1 milhão
Foto: Divulgação

Compartilhe


O andamento do Processo Administrativo Disciplinar (PAD) que foi aberto pela a Prefeitura de Filadélfia por meio de sindicância teve mais um capítulo nesta quinta-feira (26). De acordo com a Portaria publicada no Diário Oficial Eletrônico de Filadélfia, 5 servidores que estavam sendo investigados no PAD, foram exonerados de seus cargos.

O processo é resultado de auditoria no setor de recursos humanos, que identificou divergências nas folhas de pagamento do exercício financeiro de 2020 da Prefeitura de Filadélfia e dos fundo municipal de Saúde e da Educação na gestão do ex-prefeito Mizô Alencar (DEM). Os relatórios apontam que o "ato supostamente praticado pelos servidores constitui, em tese, falta grave passível de punição". (Leia mais clicando aqui).

No avaliar do processo, foi apurado e demonstrado pela a empresa A H P MATOS DE SOUSA que o município de Filadélfia sofreu dano com desvio de dinheiro público e lesão ao erário no valor total de R$ 901.318,17. De acordo com o documento, foi comprovado que os servidores listados abaixo, infringiram os deveres e obrigações do regime jurídico, sendo constatada conduta grave capaz de ocasionar a destituição de cargo em comissão por conduta de improbidade administrativa e lesão ao erário público. Assim foi decretado a exoneração.

- Lucélia Martins da Silva, inscrita na matrícula nº: 1531, do cargo em comissão de Assessora da Administração, lotada na Secretaria de Educação em 2020. Prejuízo: R$ 350.038,31;

- Kleber Martins da Silva, inscrito na matrícula nº: 3091, lotado na Secretaria de Administração e Planejamento, no cargo efetivo de Auxiliar contábil, em 2020 investido no cargo de Assessor ADA. Prejuízo: R$ 217.037,09;

- Ana Lúcia Sousa Brito, inscrita na matrícula nº: 2949, lotada na Secretaria de Educação, no cargo efetivo de professora. Prejuízo: R$ 102.676,07;

- Angelo do Bonfim e Sousa, inscrito na matrícula nº: 3140, lotado na Secretaria de Educação, no cargo efetivo de professor em 2020 investido no cargo em comissão de coordenador pedagógico. Prejuízo: R$ 205.880,75;

- Maria Neila Dourado Ribeiro, inscrita na matrícula nº: 3179, lotada na Secretaria de Educação, no cargo efetivo de professora. Prejuízo: R$ 25.685,95.

O JF ressalta que o espaço está aberto para qualquer manifestação entre dos envolvidos na matéria. Caso queira se manifestar, entre em contato conosco através do nosso formulário de contato.

Anexo


- Portaria nº: 173/2021

Tags : Mizô Alencar, servidores, Filadélfia, exoneração, desvio, PAD, Processo Administrativo

Ao clicar em "comentar", você declara que leu, entendeu e concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Subir para o topo