Mais de 120 casos de H3N2 são registrados no Tocantins em 21 dias; duas pessoas morreram


https://jflink.tk/peQSg

Mais de 120 casos de H3N2 são registrados no Tocantins em 21 dias; duas pessoas morreram
Uso de máscara evita casos de Covid-19 e Influenza — Foto: Antonio Gonçalves/Governo do Tocantins

Compartilhe


O Tocantins tem registrado aumento de casos de coronavírus, Influenza e dengue - doenças que podem ser confundidas por causa dos sintomas. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES) foram 126 casos de H3N2 nos primeiros 21 dias de janeiro. Desse total, dois pacientes ficaram em estado grave e acabaram morrendo.

Os números de coronavírus também chamam atenção. No mesmo período, entre 1º e 21 de janeiro, foram registrados 17.941 casos da doença, sendo que 19 evoluíram para óbito. Veja aqui dados completos da pandemia no Tocantins.

Também foram registrados casos de dupla infecção - quando uma pessoa é diagnosticada com vírus da Influenza (gripe) e do Covid-19. Isso porque a via de transmissão e a forma de contágio para as duas doenças são as mesmas: os pacientes se contaminam pela fala, saliva, contato, objetos contaminados que levam à boca, entre outros. Para evitar, é preciso usar máscara, manter distanciamento e lavar as mãos com frequência.

A superintende de Vigilância em Saúde da SES, Perciliana Bezerra, afirmou que não é possível afirmar que o aumento de casos de coronavírus tenha sido provocado por uma única variante.

“Todos os casos suspeitos de Covid-19 são notificados e confirmados por meio de testes. Dentro do universo de um número determinado de pacientes, e seguindo as diretrizes do Ministério da Saúde, essas amostras são enviadas para um laboratório específico para fazer sequenciamento genético, e a partir disso é possível determinar qual a variante que provocou a infecção daquele grupo", explicou Perciliana Bezerra.

Segundo ela, até o momento, três variantes foram identificadas, como circulantes no Tocantins: Gama, Delta e Ômicron. "As contaminações podem estar sendo provocadas por alguma dessas três variantes”, disse.

imagem
Teste de Covid-19 em Palmas, Tocantins — Foto: Raiza Milhomem/Prefeitura de Palmas

Os casos de dengue aumentaram significativamente, principalmente por causa das chuvas e do acúmulo de água parada. Só nas duas primeiras semanas de 2022 foram 106 diagnósticos da doença. Em janeito de 2021 foram 21 casos.

O diagnóstico preciso das três doenças só é possível a partir de testes e exames laboratoriais. O médico infectologista que atua no Hospital Geral de Palmas (HGP), Alexandre Janotti, explica que no caso de dengue, a conduta pode mudar, mas com as síndromes gripais, o médico destaca que a orientação e os cuidados iniciais são os mesmos.

"Ficar em casa, manter a hidratação, repouso, não precisa ficar na cama, não fazer atividade física e tomar analgésicos comuns serão suficientes. Os quadros vão evoluir até o máximo de quatro dias de febre e depois vem a recuperação. No caso da covid-19, a pessoa vacinada vai evoluir de maneira muito tranquila e ficar em casa vai evitar sobrecarregar os sistemas de saúde e diminuirá a circulação do vírus. Depois disso, após sete dias e sem sintomas, a pessoa já pode retornar às atividades”, orienta o infectologista.

Caso os sintomas evoluam para um quadro mais grave a unidade de saúde deve ser procurada.


Fonte: G1/TO

Tags : H3N2, gripe, Tocantins, surto

Ao clicar em "comentar", você declara que leu, entendeu e concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Subir para o topo