Paciente hipertensa relata dificuldades para marcar consulta médica em Filadélfia


https://jft.news/2397D

Paciente hipertensa relata dificuldades para marcar consulta médica em Filadélfia
Paciente medindo a pressão por um aparelho digital. – Foto: Henrique Duarte/Jornal de Filadélfia

Compartilhe


Uma moradora de Filadélfia, chamada por Arcanjela Ribeiro ou simplesmente Canjinha de 47 anos, relatou ao JF sua dificuldade de agendar uma consulta com médicos na unidade de saúde de Filadélfia. Ela é hipertensa e estava com sua pressão alterada durante dias.

Canjinha disse que toma remédio para controlar a pressão, há 3 anos toma um remédio chamado captopril, que hoje não está surtando efeitos. Sua pressão já chegou a medir 18 por 10, quando ela sentiu seu corpo "queimar", ao mesmo tempo se dirigiu a unidade de saúde que fica bem próximo da sua casa, lá as enfermeiras aplicaram dipirona em sua veia que ajudou melhorar, a partir daí, Canjinha disse que tentou marcar uma consulta para troca de remédio, porém sem sucesso.

“Minha pressão está alterada esses últimos dias, todos os dias tenho medido na casa da minha tia, ficava acima de 14 por 8. Quando está muito alta, vou a unidade de saúde e as enfermeiras aplicam dipirona na veia, mas nunca consigo marcar uma consulta por falta de médico no dia”, lamenta Arcanjela.


Ela disse que tem medo, pois sente dores no pescoço a cabeça e queria trocar esse remédio quanto antes.

“Teve um dia que senti minhas pernas queimar, tocava no meu corpo e não sentia nada. Fui à unidade e minha pressão estava 18 por 10. Agora fico com medo, toda hora estou na minha tia medindo essa pressão, está complicado. Fico sentido dores do pescoço a cabeça.”, disse.


O JF entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde no dia 07 de abril e fomos atendidos pela a secretária Yarle de Paula que se colocou prontamente a disposição para ajudar a resolver a situação de Canjinha.

Yarle disse que em Filadélfia tem médicos sim, disse a Dra. Gabriel Barbosa é quem atende aos dias de quarta e quinta-feira, também tinha o Dr. Fernando do programa mais médicos, que infelizmente pediu desistência do programa, devido sua esposa ter arrumado um emprego em outra cidade. Segundo ela, já fez a solicitação de um novo médico para substituir o Dr. Fernando e ele tem até dia 16 de abril para se apresentar, ele irá continuar trabalhando de segunda e quinta-feira após ser homologado e já trabalha na contratação de um médico que trabalhe entre segunda e terça-feira.

Para a secretária, as unidades terão médicos, segunda, terça, quarta e quinta-feira. Na sexta-feira e final de semana não tem médico devido a vaga ser do Dr. Juquinha que entra no protocolo do Covid-19, por já ser idoso e ter problemas com pressão alta e o mesmo foi afastado cumprindo os protocolos impostos pelo o Ministério da Saúde.

“As unidades estão trabalhando apenas com urgência e emergência dentro dos protocolos do Covid-19. Pessoas com hipertensão e diabetes devem procurar a unidade que os Agentes Comunitários de Saúde (ACS) passam a medicação que eles tomam para as enfermeiras, e eles preparam a medicação e o próprio ACS levam até a residência do paciente. Se não for urgência e emergência, realmente pode ter atrasamento porque não podemos fazer atendimento fora dos protocolos do Ministério da Saúde”, explica.


Yarle continua a reforçar o isolamento social e pede para moradores de Filadélfia tenha consciência do que estamos vivendo nos dias de hoje.

“Por mais que nosso município não tenha nenhum caso de contaminação, temos que ter cautela e consciência. Só procure as unidades de saúde em caso de extrema urgência”, continuou.


A secretária pediu para que nossa redação pedisse para Canjinha entrar em contato com ela, que iria ajudar.

Canjinha entrou em contato no dia seguinte e disse que a secretária teria agendado uma consulta para está segunda-feira (13). Acompanhamos o caso de Canja, ela foi na manhã de segunda-feira (13) e realizou a consulta, seu médico foi o Dr. Jorge.

Canjinha disse que ficou satisfeita com o atendimento de Yarle e agradeceu. O médico pediu retorno dela na próxima segunda-feira, pois ele fez um "mapa" da pressão de Canjinha, ela tem que anotar até domingo, entre as manhãs, tardes e noites, os resultados da pressão, assim ele terá uma média para poder trocar o medicamento e também pediu outros exames que serão feitos em Araguaína.

Embora Canjinha necessitou de atendimento no dia 07 de abril durante a noite, não tinha médico de plantão, porém era pra ter médico nos dias 8 e 9. Tudo indica que não teve devido ao decreto feito pelo o prefeito de Filadélfia, Mizô Alencar (MDB) assinado na terça-feira (6), decretando ponto facultativo 3 dias antes do feriado nacional da Paixão de Cristo, na sexta-feira (10), tanto que rendeu reclamações devido a única unidade de saúde do Distrito de Bielândia ter sido fechada na quarta-feira (8), deixando o distrito sem atendimento até segunda-feira (13).

Por fim, a secretária Yarle de Paula agradeceu a ajuda construtiva por parte do JF:

“Toda ajuda construtiva, eu fico muito e muito feliz! Muito obrigada, a qualquer momento que quiser entrar em contato, eu estou a disposição”, finalizou Yarle.

Tags : Saúde, posto de saúde, falta de médico, Filadélfia, Mizô Alencar, secretaria de saúde, hipertensão.

Ao clicar em "comentar", você declara que leu, entendeu e concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Subir para o topo