Governador interino exonera servidores investigados em operação da PF que afastou Carlesse do cargo


https://jflink.ml/qerDX

Governador interino exonera servidores investigados em operação da PF que afastou Carlesse do cargo
Wanderlei Barbosa assumiu o comando do Palácio Araguaia por 180 dias — Foto: Carlos Eller/Governo do Tocantins

Compartilhe


O governador do Tocantins em exercício Wanderlei Barbosa (sem partido) exonerou 11 servidores investigados nas operações da Polícia Federal que afastaram o governador Mauro Carlesse (PSL) do cargo. Wanderlei também determinou que outros três servidores sejam dispensados de funções comissionadas e de confiança que ocupavam. A decisão foi divulgada no fim da tarde desta sexta-feira (22).

A lista de exonerados inclui os dois secretários estaduais afastados por ordem do Superior Tribunal de Justiça. No caso de Claudinei Quaresemin, que comandava a pasta de Parcerias e Investimentos, a exoneração foi feita a pedido dele mesmo. Já Cristiano Sampaio, que chefiava a Segurança Pública, foi exonerado por determinação de Wanderlei Barbosa.

Outro funcionário que teria pedido demissão é Ineijaim José Brito Siqueira, que era secretário executivo da Administração. Ele era um dos responsáveis pela administração do plano de saúde dos servidores públicos, que está no centro de uma das investigações.

As exonerações e dispensas devem ser publicadas no Diário Oficial do Estado desta sexta. Os nomes dos substitutos ainda não foram definidos.

A determinação do STJ era do afastamento destes servidores da função por seis meses. Com a decisão pela exoneração, eles ficam fora dos cargos indefinidamente.

Confira a lista


Servidores exonerados

· Claudinei Aparecido Quaresemin - Secretário de Parcerias e Investimentos (a pedido);

· Ineijaim José Brito Siqueira - secretário executivo da Administração (a pedido);

· Cristiano Barbosa Sampaio - Secretário de Estado da Segurança Pública;

· Servilho Silva de Paiva - Secretário Executivo da Secretaria da Segurança Pública;

· Dilma Caldeira de Moura - Secretária Executiva do Tesouro do Estado;

· Raimunda Bezerra de Souza - Delegada Geral da Polícia Civil - Secretaria da Segurança Pública;

· Ronan Almeida Souza - Corregedor-Geral da Segurança Pública - Secretaria da Segurança Pública;

· Cínthia Paula de Lima - Diretora da Escola Superior de Polícia - Secretaria da Segurança Pública;

· José Mendes da Silva Júnior - Gerente de Núcleo de Inteligência - DAI-1 - Departamento Estadual de Trânsito (Detran-TO);

· Rudson Alves Barbosa - Gerente de Inteligência - Casa Militar, na Governadoria;

· Rodrigo Assumpção Vargas - Assessor de Gabinete I - Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes

Servidores dispensados de função comissionada

· Ênio Walcacer de Oliveira Filho, da função comissionada de Delegado-Chefe da 1 Divisão Especializada de Repressão a Narcóticos / Denarc - Palmas;

· Gilberto Augusto Oliveira Silva, da função comissionada de Delegado-Chefe da Divisão Especializada de Repressão à Corrupção / Decor / Decor-Palmas;

· Victor Vandré Sabará Ramos, da função comissionada de Administração.

Em nota, o governo disse que "a decisão ocorre em cumprimento à decisão do STJ, a boa-fé processual da Chefia do Poder Executivo e a legalidade dos seus atos, além da necessidade de manutenção dos serviços prestados pelo Estado". A gestão reiterou ainda o "compromisso com a transparência e com a continuidade das ações em prol da população".


Fonte: G1/TO

Tags : Política, Tocantins, servidores, Wanderlei Barbosa, Mauro Carlesse

Ao clicar em "comentar", você declara que leu, entendeu e concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Subir para o topo