Dois candidatos de Filadélfia com patrimônio acima de R$300 mil receberam o auxílio emergencial


https://jft.news/9k2Bb

Dois candidatos de Filadélfia com patrimônio acima de R$300 mil receberam o auxílio emergencial
Foto: Divulgação

Compartilhe


O Tribunal de Contas da União (TCU) divulgou nesta sexta-feira (06), uma lista de candidatos a prefeito e vereador que declararam patrimônio acima de R$300 mil para a Justiça Eleitoral no Estado do Tocantins e receberam o auxilio emergencial, um socorro financeiro para trabalhadores impactados pela pandemia de covid-19.

No Brasil, são ao todo 10.724 candidatos, dos quais 1.320 declararam ter patrimônio de mais de R$ 1 milhão. Já em Filadélfia foram listados 2 candidatos, entre eles, o candidato a prefeito David Bento (Republicanos) e Laerte Lopes (Republicanos).

No documento divulgado pelo o TCU, mostra que David Bento declarou R$337.500,00 em bens a Justiça Eleitoral, e recebeu R$2.400,00 em auxílio. David foi procurado, ele disse que é Micro Empreendedor Individual (MEI) e se enquadra nos requisitos do benefício. Na sua visão, não há nada de errado nisso, uma vez que seu MEI não teve faturamento acima de R$28.559,70 em 2018, conforme edital do auxílio.

Laerte Lopes declarou para Justiça Eleitoral, o total de R$526.802,22 em bens e recebeu R$1.200,00 de auxílio emergencial. Procurado, Laerte disse que fez o cadastro no aplicativo do auxílio emergencial e foi aprovado, depois da segunda parcela eles cortaram. "Mas se foi aprovado, acabou. Eu não roubei nada de ninguém, nunca peguei nada de ninguém, entendeu? Veio do Governo Federal, agora se eles quiser que eu devolvo, ai eu vou ter que devolver, não tem nada de errado não", explicou.

A procuradoria eleitoral afirma que receber o auxílio indevidamente é crime de corrupção. "Me assusta muito que candidatos que pretendem exercer cargos públicos, pretendem gerir o dinheiro público, já antes de exercerem estes cargos cometam estes atos gravíssimos de corrupção", diz o procurador da República Álvaro Manzano.

O Ministério da Cidadania informou que quem receber o auxílio sem ter o direito, além de ter que devolver os valores pode responder a processos civis e penais. A CGU afirmou que caso a pessoa suspeite que seus dados foram usados em algum golpe é importante registrar boletim de ocorrência.

Nas redes sociais e grupos do WhatsApp, internautas lamentaram a postura dos candidatos. "Eu acho que eles deveriam ter pelo menos a consciência e o respeito ao próximo. Porque já que eles estão lá num patamar bem melhor do que muitos deveriam pelo menos ter a consciência de devolver".

Em todo o Tocantins, foi um total de 47 candidatos a prefeito receberam o auxílio, apenas 6 deles devolveram os valores aos cofres da União.

Anexo:

Relatório do TCU

Com informações do portal G1

Tags : TCU, auxílio emergencial, candidatos, corrupção, Justiça Eleitoral.

Ao clicar em "comentar", você declara que leu, entendeu e concorda com nossos termos de uso e política de privacidade.

Subir para o topo